MORRETES/PR

Viagem realizada em 24/06/2015 – 

Partindo de Curitiba na manhã do Dia de São João, eu e a Dezinha tínhamos como destino a histórica Morretes, terra do barreado. A cidade, no entanto, tinha muito mais nos aguardando do que apenas seu maravilhoso prato típico. Empolgados, pegamos a estrada, na qual ficamos por menos de 1h30min contemplando o verde que nos rodeava.

Estrada para Morretes

Estrada para Morretes

Até que, de repente, tivemos que parar o carro no meio da rua. O empecilho não era apenas um simples sinal vermelho, mas o famoso trem cargueiro, que parecia ter nos aguardado chegar para se exibir para nós.

Aguardando o trem passar e admirando a máquina...

Aguardando o trem passar e admirando a máquina…

Aguardando o trem passar e admirando a máquina...

Aguardando o trem passar e admirando a máquina…

Aguardando o trem passar e admirando a máquina...

Aguardando o trem passar e admirando a máquina…

De camarote, observávamos a máquina passar…

Presos no carro

Presos no carro

Até ela ir embora.

Dando tchau para o trem

Dando tchau para o trem

Dando tchau para o trem

Dando tchau para o trem

Dando tchau para o trem

Dando tchau para o trem

Dando tchau para o trem

Dando tchau para o trem

Dando tchau para o trem

Dando tchau para o trem

Já na zona urbana, chegamos à Praça Olympio Trombini.

Praça Olympio Trombini

Praça Olympio Trombini

Praça Olympio Trombini

Praça Olympio Trombini

A pracinha é simples, mas bonita e super bem cuidada.

Praça Olympio Trombini

Praça Olympio Trombini

Praça Olympio Trombini

Praça Olympio Trombini

Mais à frente, deixamos nosso carro em um lugar mais estratégico para percorrer a cidade a pé. E, de cara, a rua já nos chamou atenção pela forma como são organizados os paralelepípedos.

Paralelepípedos organizados

Paralelepípedos organizados

Paralelepípedos organizados

Paralelepípedos organizados

Seguindo por ela, uma pracinha se apresentava para nós com suas flores e seu coreto.

Florzinhas

Florzinhas

Coreto

Coreto

Dezinha e a foto misteriosa

Dezinha e a foto misteriosa

Curioso para saber o que a Dezinha fotografava? A gente mostra…

Foto misteriosa sendo desvendada

Foto misteriosa sendo desvendada

Foto misteriosa desvendada

Foto misteriosa desvendada

Quem curte poesia pode apreciar a Tela Morretense, afixada na praça:

Tela Morretense

Tela Morretense

Atravessando a rua, demos de cara com o belíssimo Rio Nhundiaquara.

Vista para o Rio Nhundiaquara

Vista para o Rio Nhundiaquara

Vista para o Rio Nhundiaquara

Vista para o Rio Nhundiaquara

Visual indescritível!

Vista para o Rio Nhundiaquara

Vista para o Rio Nhundiaquara

Vista para o Rio Nhundiaquara

Vista para o Rio Nhundiaquara

Vista para o Rio Nhundiaquara

Vista para o Rio Nhundiaquara

Ideal para todo mundo que precisa relaxar…

Cão descansando

Cão descansando

Caminhando, chegamos a outra praça. Mas, antes que pudéssemos fotografar o local, fomos recebidos por Marcos Nene, Jaime Guimarães e outros amigos degustadores de uma boa cachacinha.

Anfitriões da pinga

Anfitriões da pinga

Anfitriões da pinga

Anfitriões da pinga

Famintos, decidimos encher a pança. O destino seria o Madalozo, restaurante que a Dezinha já conhecia e indicou para comermos barreado. Foi só cruzar essa ponte:

Ponte

Ponte

Ponte

Ponte

E lá estávamos nós.

Restaurante Madalozo

Restaurante Madalozo

Restaurante Madalozo

Restaurante Madalozo

Restaurante Madalozo

Restaurante Madalozo

E lá também estava o barreado.

Barreado sendo servido

Barreado sendo servido

A comida é feita com acém temperado, cozido em panela de barro por 24h. Ela chega à mesa fervendo, sendo necessário que você adicione duas colheres de farinha de mandioca ao seu prato antes de pôr a carne. Em seguida, é preciso mexer por uns 5min até ficar consistente, tempo no qual a quentura do acém cozinha a farinha. O resultado é esse abaixo, sendo aconselhável cortar as bananas que acompanham o prato em rodelas e comê-las junto:

Barreado após preparo

Barreado após preparo

Para misturar no barreado, o ideal é banana crua. Mas o Madalozo também serve umas fritas com acém dentro da fruta. Sabe-se lá como fazem isso, só sei que é muito gostoso!

Banana recheada com acém

Banana recheada com acém

Além do excelente atendimento e comida maravilhosa, o restaurante ainda fornece doses grátis de cachaças artesanais. Peguei uma de cataia e a Dezinha de gengibre, e fomos para a hidratação!

Hidratação

Hidratação

Já de pança cheia, fomos apreciar a vista da ponte.

Vista para o Rio Nhundiaquara

Vista para o Rio Nhundiaquara

E para a Praia da Ponte.

Vista para a Praia da Ponte

Vista para a Praia da Ponte

Vista para a Praia da Ponte

Vista para a Praia da Ponte

Descendo à margem do Nhundiaquara, a vista ficava cada vez mais bela.

Vista para a Praia da Ponte

Vista para a Praia da Ponte

Vista para a Praia da Ponte

Vista para a Praia da Ponte

Vista para a Praia da Ponte

Vista para a Praia da Ponte

A Dezinha se divertia, ficando, também, cada vez mais bonita…

Dezinha escalando as escadas

Dezinha escalando as escadas

Dezinha escalando as escadas

Dezinha escalando as escadas

Vista para a Praia da Ponte

Vista para a Praia da Ponte

Detalhe para a ponte, observada de baixo para cima:

Debaixo da ponte

Debaixo da ponte

De volta à pracinha da turma da cachaçada, pausa para descanso em um dos belos banquinhos amarelos.

Dezinha iniciando a digestão

Dezinha iniciando a digestão

Pracinha

Pracinha

Nosso descansinho foi rápido. Mas quem ali repousa eternamente é Silveira Neto, autor do hino municipal.

Túmulo de Silveira Neto

Túmulo de Silveira Neto

Túmulo de Silveira Neto

Túmulo de Silveira Neto

Atrás de seu túmulo, está o lindo Coreto Sinibaldo Trombini.

Coreto Sinibaldo Trombini

Coreto Sinibaldo Trombini

Coreto Sinibaldo Trombini

Coreto Sinibaldo Trombini

Coreto Sinibaldo Trombini

Coreto Sinibaldo Trombini

A pracinha é tão mágica que até a lixeira fica bonita com a presença dessa ave linda:

Passarinho embelezando até a lixeira

Passarinho embelezando até a lixeira

O bacana de Morretes é que existem mais bicicletas do que automóveis por ali.

Estacionamento com mais bicicletas do que carros. Foto: Débora Rotta

Estacionamento com mais bicicletas do que carros. Foto: Débora Rotta

Ciclista morretense. Foto: Débora Rotta

Ciclista morretense. Foto: Débora Rotta

E atravessamos a tranquila rua, chegando à Galeria de Artes.

Galeria de Artes

Galeria de Artes

Galeria de Artes

Galeria de Artes

Galeria de Artes

Galeria de Artes

Lá, você encontra o incrível tubarão metálico!

Tubarão metálico

Tubarão metálico

Tubarão metálico

Tubarão metálico

A casa conta com um amplo salão recheado de pinturas feitas em metal, como a do mestre Ayrton Senna.

Ayrton Senna

Ayrton Senna

Galeria de Artes

Galeria de Artes

Destaque, também, para essa moto show de bola:

Moto

Moto

A Galeria tem, ainda, uma cafeteria e esse pátio bem charmoso:

Pátio da Galeria de Artes

Pátio da Galeria de Artes

Pátio da Galeria de Artes

Pátio da Galeria de Artes

Pátio da Galeria de Artes

Pátio da Galeria de Artes

Dali, seguimos para a Casa de Rocha Pombo, outro monumento histórico de Morretes.

Casa de Rocha Pombo

Casa de Rocha Pombo

Casa de Rocha Pombo

Casa de Rocha Pombo

Casa de Rocha Pombo

Casa de Rocha Pombo

O local conta com uma escadaria que me deixou à margem do Nhundiaquara, sendo possível avistar novamente a Praia da Ponte de um lado…

Vista para a Praia da Ponte

Vista para a Praia da Ponte

… o curso do rio e a Dezinha do outro.

Vista para o Rio Nhundiaquara

Vista para o Rio Nhundiaquara

Vista para a Dezinha e para o Rio Nhundiaquara

Vista para a Dezinha e para o Rio Nhundiaquara

Saindo dali e andando mais um pouco, chegamos ao Marco Zero, fixado há quase 300 anos.

Marco Zero de Morretes

Marco Zero de Morretes

Seguindo adiante pela rua, esse gatinho nos aguardava para posar para fotos em sua janela:

Gatinho posando para foto

Gatinho posando para foto

Observando a igreja ao fundo, fomos adiante pela rua…

Vista para a igreja

Vista para a igreja

Vista da igreja

Vista da igreja

Até que já estávamos na Igreja Matriz Nossa Senhora do Porto, com seus 200 anos de história.

Igreja Matriz Nossa Senhora do Porto

Igreja Matriz Nossa Senhora do Porto

Igreja Matriz Nossa Senhora do Porto

Igreja Matriz Nossa Senhora do Porto

Igreja Matriz Nossa Senhora do Porto

Igreja Matriz Nossa Senhora do Porto

Pedi licença e entrei para ver o monumento.

Igreja Matriz Nossa Senhora do Porto

Igreja Matriz Nossa Senhora do Porto

Destaque para essa linda cruz, colocada na frente do santuário em comemoração à virada do século XIX para o XX:

Cruz da virada

Cruz da virada

Cruz da virada

Cruz da virada

Descendo a pequena escadaria da igreja, chegamos a uma nova ponte sobre o Nhundiaquara. Com uma vista linda, só pra variar…

Ponte

Ponte

Vista da ponte

Vista da ponte

Vista da ponte para a igreja. Foto: Débora Rotta

Vista da ponte para a igreja. Foto: Débora Rotta

Antes de seguirmos para nosso próximo destino, duas casas chamaram atenção. Uma histórica:

Casa histórica

Casa histórica

Casa histórica

Casa histórica

E uma mansão:

Mansão

Mansão


Gostou? Comente!
Curta nossa página no Facebook: Facebook.com/barcadaideia
Acesse todos os relatos em: Explorações

Patrocinador: Carpória – agência de comunicação.

Renaldo Souza

Um maluco de estrada que gosta de dar uma caminhada. Amante da natureza, dos churrascos e da cevada. Se Noé fez a arca, eu fiz a Barca. A Ideia, a gente arruma…

Um Comentário:

  1. Waldyr Argento Jr

    Boa-tarde amigo, realmente estive ontem em Morretes e confesso que me apaixonei pela cidadezinha linda:

    AMO MORRETES
    (Argento Jr.)
    A mo
    M orretes,
    O ntem, hoje e sempre!
    M uita natureza existe aqui
    O nde o céu toca a montanha
    R asgando poesia e luz
    R ompendo vem o véu das noivas
    E o Marombi imponente irrompe
    T rem, sol, mata e mel
    E a suavidade que encanta
    S em saída eu fiquei fã…

    (*) 28/10/2017 – Curitiba – PR

    CONTATOS:

    Email  Waldyrargentojr2014@gmail.com
    Facebook  Waldyr Argento Jr
    Whatsup  (21) 99973-8396

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *