NOVA FRIBURGO/RJ

Viagem realizada em 20/08/2017

Às duas da manhã, acordo para me preparar para pegar o ônibus das 4h de Itaboraí em direção a Cachoeiras de Macacu. Em meio ao amanhecer, fui subindo a serra rumo ao meu destino final: Nova Friburgo.

Subindo a serra

Já na cidade, segui direto para um compromisso no Colégio Estadual Dr. Galdino do Vale Filho.

Colégio Estadual Dr. Galdino do Vale Filho

Saí já na hora do almoço e tive a grata (gratíssima, aliás) surpresa de encontrar o Sushi Nakombi ao lado da escola. Já estava há algum tempo com vontade de comer um japonês (falo da comida, hein!) e não resisti.

Sushi Nakombi

Nota 11 para a refeição. Muito boa! Destaque para esse “trocinho” de doce de leite na foto, que tem banana por baixo. Questionei o nome daquilo e me falaram que é “doce de leite com banana” mesmo. Se o nome é comum, a pecinha é bem diferente. E gostosa!

Japonesada com trocinho de doce de leite com banana

Dali, já com a pança cheia, segui para o Nova Friburgo Country Clube.

Nova Friburgo Country Clube

Na entrada, a gente já percebe que o local é mágico só de ver essa “caverna de bambus”:

Caverna de bambus

Caverna de bambus

O parque é particular e dispõe de alguns espaços exclusivos para associados, como esse campo de futebol e essa quadra de tênis:

Campo de futebol

Atrás da rede

Quadra de tênis

Porém, a entrada é gratuita para circulação em uma imensa área de lazer. Basta cruzar uma pontezinha sobre um córrego…

Córrego debaixo da pontezinha

Córrego debaixo da pontezinha

E você já chega de frente a esse lago maravilhoso:

Lago maravilhoso

Lago maravilhoso

Com vista para a belíssima ilha que ele abriga.

Ilhazinha foda

Tem até casinhas loucas para os bichinhos se alimentarem.

Casinha louca

E várias plaquinhas explicando um pouco dos próprios bichos e plantas que você encontra por lá.

Placa da fauna

Placa da flora

Do outro lado do lago, várias árvores…

Arvorezada

E outro lago!

Lago da Perfeição (não tem nome, mas é perfeito)

Lago da Perfeição (não tem nome, mas é perfeito)

Por trás da beleza do chafariz, uma enorme árvore complementa a magia daquele local sonorizado apenas pelos cantos dos pássaros.

Árvore ao fundo do Lago da Perfeição

Segui em direção a essa belíssima mansão antiga:

Mansão velha

Mansão velha

Mansão velha

Ao seu lado, uma casinha construída com a mesma aparência e um deque de madeira.

Casinha velha igual à mansão velha

Vista do deque da casinha velha

Até aí, a tranquilidade reinava. Porém, ao lado da casinha, essa escada surgia após um portão trancado.

Escada trancada

Por ali, acontecia uma fotografia de formatura de alunos de publicidade. Questionei a alguns deles sobre o que teria depois da escada e ninguém soube responder, o que só aguçou minha curiosidade. Imaginei que fosse uma continuação do parque que estivesse fechada ao público. Talvez por manutenção ou algo do tipo. E decidi checar o que tinha por lá.

Atravessei o mato e algumas cercas, incluindo arame farpado, e lá estava eu: do outro lado do portão fechado e na escada.

Fui adiante, explorando e tirando fotos do local, até que um cachorro imenso surgiu latindo e, para me proteger, pulei atrás de uma moita. Ele, porém, deu a volta e seguiu para me pegar por outro caminho. Por sorte, o caseiro apareceu, me explicando que, ao contrário do que eu imaginava, o espaço onde eu havia chegado era propriedade particular não ligada ao parque. Imediatamente, me desculpei e excluí todas as fotos que havia tirado dali. Fica, desde já, o aviso para que ninguém cometa o mesmo erro que cometi.

Ainda no susto e me recuperando da carreira que levei do cão, retornei à calmaria da exploração dos lagos, encontrando mais um:

Terceiro lago

Terceiro lago

Destaque para essas estruturazinhas bacanas de madeira que contornam e incrementam o visual:

Estruturazinha

Quiosque

Interior do quiosque

Acima, mais um lago. O local pediu pra ser lindo e entrou na fila 17 vezes.

Quarto lago

Quarto lago

E próximo a outra paradinha para alimentar os bichos…

Restaurante da bicharada

Surgem os próprios bichos. Um mais narcisista que o outro, aproveitando-se de suas belezas para fazerem pose para as fotografias. Seja na água…

Ave narcisista

Ave narcisista

Ou na grama…

Ave narcisista 2

Ave narcisista 2

À direita do lago, outra escada me chamou atenção.

Escada

Essa não tinha portão trancado, mas também não tinha nada. Fui andando achando que daria em uma estrutura qualquer quando me vi em meio a uma trilha louca.

Trilha

O trajeto é super tranquilo, mas, de calça jeans e sapatênis, não esperava fazer trilha naquele momento. Porém, segui andando e fui recompensado com essa vista linda para a piscina do Country Club e a cidade de Friburgo ao fundo:

Vista para a cidade e a piscina do clube

15min depois, o fim da trilha de frente a essa escultura de um manequinho mijão, lá para perto do início do parque. E dá-lhe, Fogão!

Manequinho mijão

Ao lado do símbolo sagrado, uma pistinha de kart.

Pista de kart

E eu estava de volta ao primeiro dos lagos mágicos.

Lago

Lago

Dessa vez, atravessei a ponte e fui até a ilhazinha.

Chafariz da ilha

Aves da ilha

De volta ao “continente”, vi uma galera andando nesses carrinhos loucos que são alugados por hora:

Carrinhos de pedalar

Dando um até breve para o parque, era hora de passar por baixo do “céu de bambus”.

Céu de bambus

Minha parada seguinte foi na Praça Marcílio Dias.

Praça Marcílio Dias

Praça Marcílio Dias

O local é bem bacana e tranquilo.

Praça Marcílio Dias

Praça Marcílio Dias

Destaque para o coreto redondo.

Coreto redondo

Coreto redondo

E para o monumento da Marinha.

Monumento da Marinha

Monumento da Marinha

A vegetação da praça dá um toque todo especial na decoração do ambiente.

Vegetação

Vegetação

Seguindo em frente, passei pela Igreja Luterana…

Igreja Luterana

E por esse clube de xadrez, que me chamou bastante atenção. Além do próprio jogo de tabuleiro, há disputa de texas hold’em no local. Espero um dia conhecer por dentro (e levar uma graninha na mesa, claro).

Club de Xadrez

Depois de andar mais um pouco, lá estava eu na Praça do Suspiro, a mais movimentada da cidade. Registrei essa estrutura:

Memorial 12 de Janeiro

E fui direto para o teleférico.

Teleférico

Paguei R$25 pela subida com a descida. Porém, o cupom que ganhamos na primeira vez vale como desconto de 50% em todas as próximas que voltarmos ao transporte. Guardei bem e fui subindo.

Subida do teleférico

Subida do teleférico

Quem tem medo de altura pode sofrer um pouco com as tremidinhas da cadeira e com os pequenos estalos que dá a cada torre que passa, mas a viagem é super tranquila. E libertadora.

Subida libertadora do teleférico

Em 10 ou 15min, já estava lá em cima.

Vista do mirante

Vista do mirante

Vista do mirante

A vista é indescritível. Só vendo as fotos mesmo para tentar sentir 1% da maravilha que é aquilo lá.

Vista do mirante

Vista do mirante

Vista do mirante

O mirante é imenso.

Vista do mirante

Mirante

E tinha uma bandeira suíça também imensa.

Bandeira suíça

E um dinossauro também imenso.

Dinossauro

Dentista natural do dinossauro

No local funciona um boliche.

Boliche

Boliche

Tem, ainda, espaço com sinuca, patinação e diversos jogos eletrônicos.

Área de jogos

Acima, um hotel desativado.

Vista para o hotel

Também desativado é o segundo estágio do teleférico, localizado próximo ao cume do Morro da Cruz. A estação foi fechada após as enchentes que Nova Friburgo sofreu em 2011. Já está até pronta para reinauguração, faltando apenas formalização dos documentos. O problema é quando isso vai sair…

Falando em saída, o primeiro estágio é acessível também por uma rua que contorna o teleférico levando ao boliche. Na segunda, porém, não se chega de carro. Só pelo próprio teleférico, por trilha ou por uma escadaria de 2.300 degraus.

Ainda no mirante, fiquei um bom tempo lá em cima respirando aquele ar gostoso com aquela vista linda…

Vista do mirante

Vista do mirante

E era hora de descer.

Descida do teleférico

Descida do teleférico

Descida do teleférico

Já no chão, de volta à Praça do Suspiro, encontrei uma animada roda de candomblé.

Roda de candomblé

Do outro lado, a charmosa Capela de Santo Antônio.

Capela de Santo Antônio

Capela de Santo Antônio

No centro da praça, destaque para essa barraquinha de gravação em madeira, com umas frases muito bacanas.

Barraquinha

Material da barraquinha

Avistei o Teatro Municipal Ariano Suassuna.

Teatro Municipal Ariano Suassuna

Teatro Municipal Ariano Suassuna

Dentro dele, muito bem recebido pela Íris, acompanhei uma exposição em homenagem aos suíços, onde, enfim, pude entender o porquê da imensa bandeira europeia lá na estação do teleférico.

Exposição em homenagem aos suíços

Exposição em homenagem aos suíços

Ela me explicou que existem três grandes colônias de suíços em Friburgo, e, anualmente no mês de agosto, o município faz homenagens ao país.

Exposição em homenagem aos suíços

Exposição em homenagem aos suíços

Roupa de um camponês suíço

A exposição contava, ainda, com fantasias da Unidos da Tijuca, que homenageou a Suíça no enredo de 2015.

Fantasias da Unidos da Tijuca 2015

Fantasias da Unidos da Tijuca 2015

Fantasias da Unidos da Tijuca 2015

De volta à praça, fotografei o bolichão.

Bolichão

E fui registrando os monumentos que achava. Começando pela Tocha Olímpica.

Tocha Olímpica

Tocha Olímpica

Passando pela A Pátria.

A Pátria

A Pátria

E ficando de frente ao O Empreendedor Social.

O Empreendedor Social

O Empreendedor Social

E esse aí, claro, que não poderia faltar:

Amo Nova Friburgo. De verdade!

Ao lado da pracinha, uma fonte gostosa para matar a sede.

Fonte gostosa

E o Tiro de Guerra do Exército.

Tiro de Guerra

Frase no Tiro de Guerra

Já havia dado a minha hora de ir embora. Porém, para os 200 anos de Nova Friburgo, ainda faltavam 268 dias. Espero retornar lá antes disso. Ou depois. Só espero poder visitar outras vezes essa cidade tão bacana.

Contador de dias para os 200 anos de Friburgo

Sobre Nova Friburgo, acesse também o relato do Cão Sentado


Gostou? Comente!
Curta nossa página no Facebook: Facebook.com/barcadaideia
Acesse todos os relatos em: Explorações

Patrocinador: Carpória – agência de comunicação.

Renaldo Souza

Um maluco de estrada que gosta de dar uma caminhada. Amante da natureza, dos churrascos e da cevada. Se Noé fez a arca, eu fiz a Barca. A Ideia, a gente arruma…

6 Comments:

  1. Jaibe Pitzer

    Poxa cara, que texto mais agradável e simpático, sou friburguense e gostei muito de sua matéria, mas dá próxima vez que vier aqui não deixe de conhecer nossas montanhas, como a pedra do imperador, as Catarinas é o Caledônia.
    E também o parque estadual dos três picos que é um local mágico.
    É uma curiosidade, Nova Friburgo fica exatamente no centro do estado do Rio de janeiro, sendo que na praça Getúlio Vargas fica o março geodésico indicando isso.

  2. Maria do Carmo P. de Souza

    Parabens , tudo muito lindo e com muita perfeiçao !!!

  3. Maria do Carmo P. de Souza

    Adorei um lindo trabalho ……Parabens!!!!!!

  4. Obrigado pelas dicas, Miguelina. O Cão Sentado tem um relato só dele, em passeio que fiz em 2014:

    NOVA FRIBURGO/RJ – Cão Sentado

  5. Miguelina Nogueira Oliveira

    Obrigado…!!Tudo lindo,mas faltou outros lugares maravilhosos..!!O cão sentado ,queijaria escola e o nego.
    Da próxima vez não deixe de visitar.
    Abraços..!!

  6. Adorei , obrigada pela visita, volte mais vezes ainda faltou alguns locais lindos, como Colégio Anchieta, Lumiar e São Pedro e muitos outros . abraços Sandra

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *