RIO BONITO/RJ

Viagem realizada em 10/07/2015 –

Sexta-feira de manhã e decido aproveitar a folga para explorar melhor a cidade onde nasci há algumas décadas atrás. Fiz a mochila e, sozinho, peguei o ônibus com destino a Rio Bonito. Meu objetivo era fugir um pouco do tradicional Centro, que eu já estou sempre visitando, e ir em direção ao Basílio e à Serra do Sambê. E para lá fui, tendo como primeiro destino a Cachoeira do Salto, no bairro de Braçanã.

Vista da BR-101

Vista da BR-101

Logo no início do caminho, uma lembrança da minha infância: criação de galinhas. Papai sempre manteve o quintal cheio de animais para eu ter contato com a natureza. Botávamos nomes em todos os cachorros, gatos e também nas aves, que não eram poucas.

Criação de galinhas

Criação de galinhas

Seguindo adiante, surgia a Cerâmica São Basílio, com seu letreiro coberto pelas árvores.

Cerâmica São Basílio

Cerâmica São Basílio

Cerâmica São Basílio

Cerâmica São Basílio

Cerâmica São Basílio

Cerâmica São Basílio

Na frente, uma pracinha para a criançada.

Pracinha

Pracinha

Até que cheguei ao Largo da Capela Sant’anna de Basílio.

Largo da Capela Sant'anna de Basílio

Largo da Capela Sant’anna de Basílio

Largo da Capela Sant'anna de Basílio

Largo da Capela Sant’anna de Basílio

Aproveitei e subi no coreto para observar a vista do tranquilo local.

Coreto

Coreto

Vista do coreto

Vista do coreto

Vista do coreto

Vista do coreto

Só que eu também estava sendo observado…

Totó observador

Totó observador

Destaque para a bela Capela Sant’anna de Basílio.

Capela Sant'anna de Basílio

Capela Sant’anna de Basílio

Capela Sant'anna de Basílio

Capela Sant’anna de Basílio

Capela Sant'anna de Basílio

Capela Sant’anna de Basílio

Dali em diante, o asfalto dava lugar à estrada de chão e a urbanização cedia espaço para o verde. E que verde!

Vista linda

Vista linda

Vista linda

Vista linda

Vista linda

Vista linda

Os bois começavam a aparecer…

Boizada

Boizada

E eu seguia andando e admirando cada vez mais a cidade que papai tanto amou e escolheu para eu nascer.

Estrada

Estrada

Vista linda

Vista linda

Vista linda

Vista linda

Após um bom tempo de caminhada, eis que uma placa me chama atenção: Márcio Fibras. É a marca da piscina aqui de casa. Fiquei surpreso em saber que a fábrica era ali, em meio à zona rural. Aliás, bem bacana o sítio dele!

Márcio Fibras

Márcio Fibras

Sítio do Márcio Fibras

Sítio do Márcio Fibras

Sítio do Márcio Fibras

Sítio do Márcio Fibras

Destaque para outro totó que veio me dar informação.

Totó informante

Totó informante

Depois de pouco mais de 1h andando (contando com as rápidas paradas para fotos), finalmente começava a ouvir o barulho da Cachoeira do Salto. E eis que surge essa coisa linda:

Cachoeira do Salto

Cachoeira do Salto

Cachoeira do Salto

Cachoeira do Salto

Antes de se aproximar, vale o aviso!

Não seja porco!

Não seja porco!

Pelo o que havia pesquisado, sabia que a cachoeira era de fácil acesso. Só não imaginava que tivesse dois bares em frente e até escadinha para descer…

"Trilha" para a descida

“Trilha” para a descida

"Trilha" para a descida

“Trilha” para a descida

O que eu também não imaginava era que o local fosse tão bonito.

Cachoeira do Salto

Cachoeira do Salto

Cachoeira do Salto

Cachoeira do Salto

Não me contentei em ficar ali embaixo, atravessei o rio e fui escalar a cachoeira. Se compensou? Aí vai a resposta:

Cachoeira do Salto

Cachoeira do Salto

Cachoeira do Salto

Cachoeira do Salto

Cachoeira do Salto

Cachoeira do Salto

Lá em cima, há uma barragem que canaliza a água para abastecimento do município de Tanguá.

Barragem

Barragem

Barragem

Barragem

Barragem

Barragem

Em um ponto, se forma uma cortina d’água bem bacana.

Cortina d'água

Cortina d’água

E daí que era inverno? O calor estava forte e eu não tinha ido ali só para tirar fotos. Hora de mergulhar… O volume d’água estava bem baixo. O local mais fundo que cheguei tinha cerca de 1m apenas. Mas deu para lavar a alma.

Cachoeira do Salto

Cachoeira do Salto

Cachoeira do Salto

Cachoeira do Salto

Decidi seguir o rio um pouco mais adiante…

Seguindo o rio

Seguindo o rio

Seguindo o rio

Seguindo o rio

Seguindo o rio

Seguindo o rio

Até que tive que retornar. Afinal, meu objetivo era chegar ainda naquele dia próximo ao topo da Serra do Sambê, na famosa rampa da asa-delta de Rio Bonito. Retornei à estrada e segui em frente, passando por uma ponte sobre o rio que formava a cachoeira, sendo possível avistar sua continuidade e, de cima, a barragem.

Rio

Rio

Barragem

Barragem

E avancei pela extrema tranquilidade por mais uns 2km…

Estrada

Estrada

Vista linda

Vista linda

Passei até por uma escolinha fechada.

Escola Municipal Renato Cardoso

Escola Municipal Renato Cardoso

Escola Municipal Renato Cardoso

Escola Municipal Renato Cardoso

O mapa e a bússola me diziam que eu estava distante da rampa, separado dela por um longo caminho de montanhas e mata fechada. Pedi informações aos poucos locais que eu encontrava pelo caminho. Mas nenhum deles conhecia uma trilha que fizesse ligação ao meu próximo destino. Decidi retornar o percurso e seguir de ônibus até o Centro para iniciar a subida de lá.

Antes, porém, decidi fazer um pit-stop para almoço. E decidi pelo Botequim Mirasauer. Curiosamente, vários amigos já me chamaram para hidratar no local. Mas acabei indo conhecer em meio a aventuras pela cidade. A comida? Frango grelhado. Por R$ 10,90, estava é bom demais!

Botequim Mirasauer

Botequim Mirasauer

Botequim Mirasauer

Botequim Mirasauer

Franguinho show

Franguinho show

Pança cheia, cruzei a linha do trem e passei pela pontinha.

Linha do trem

Linha do trem

Linha do trem

Linha do trem

Ponte

Ponte

E iniciei a subida, cruzando a Avenida Santos Dumont. No começo, a ladeira é uma rua de paralelepípedo. Até virar à esquerda e começar a rua de chão, que depois dá em um percurso de concreto. A inclinação é pesada e cansativa. Ainda mais para quem já havia percorrido vários km pela manhã. No entanto, quando se começa a ter esse tipo de vista abaixo, a alma se anima.

Vista da subida da montanha

Vista da subida da montanha

Vista da subida da montanha

Vista da subida da montanha

Vista da subida da montanha

Vista da subida da montanha

Olhando para a frente e percebendo a distância que ainda teria de ser percorrida poderia até desanimar, se o caminho não fosse tão verde e bonito.

Vista verde linda

Vista verde linda

E chego a uma torre de rádio. O vigia me pediu educadamente para não fotografar o objeto, mas me deixou registrar a vista de lá de cima, dando para ver a BR-101 e o Centro de Tanguá.

Vista da torre

Vista da torre

Vista da torre

Vista da torre

Logo ao lado da torre, um pequeno lago dá as caras.

Laguinho bacana

Laguinho bacana

Seguindo ladeira acima, o concreto dá lugar novamente à estrada de chão.

Estrada

Estrada

Estrada

Estrada

Meus pais já haviam feito esse percurso há algumas décadas. De carro. E mamãe havia me falado que eu encontraria uma biquinha próximo ao topo, o que foi reforçado pelo vigia da torre. E eis que ela surge. Linda, maravilhosa e gostosa. Joguei fora toda a água que eu tinha e recarreguei naquele oásis.

Biquinha

Biquinha

Biquinha

Biquinha

Antes de chegar à rampa, passei, ainda, pela última propriedade particular do caminho. Achei o nome “Sítio da Conquista” bem apropriado para o local. Afinal, subir a pé até ali já é uma conquista considerável para muita gente.

Sítio da Conquista

Sítio da Conquista

E eis que chego ao meu destino: a rampa da asa-delta!

Rampa da asa-delta

Rampa da asa-delta

Rampa da asa-delta

Rampa da asa-delta

Rampa da asa-delta

Rampa da asa-delta

O visual lá de cima é indescritível!

Vista da rampa da asa-delta

Vista da rampa da asa-delta

Vista da rampa da asa-delta

Vista da rampa da asa-delta

Vista da rampa da asa-delta

Vista da rampa da asa-delta

Alcancei o topo após cerca de 1h30min de subida, contando, obviamente, com as paradas para fotos e descanso. O local é bem plano. E bonito.

Topo da rampa

Topo da rampa

Topo da rampa

Topo da rampa

Mas venta absurdamente.

Sinais do vento

Sinais do vento

A rampa de Rio Bonito já foi considerada uma das melhores para voo de asa-delta em todo o estado do Rio de Janeiro. Infelizmente, ela está precisando de reformas. As madeiras estão quebradas e soltas. Mas o visual de lá segue intocável.

Vista da rampa da asa-delta

Vista da rampa da asa-delta

Vista da rampa da asa-delta

Vista da rampa da asa-delta

Vista da rampa da asa-delta

Vista da rampa da asa-delta

Cheguei lá em cima pouco antes das 17h. Não teria como eu descer sem antes contemplar o pôr do Sol e me emocionar por estar explorando a cidade que papai tanto amava e escolheu para eu nascer.

Pôr do Sol

Pôr do Sol

Pôr do Sol

Pôr do Sol

Antes da descida, um presente: Lécio. Do nada, o amigo apareceu lá em cima de carro para reconhecer o local. Ele disse que há muitos anos não tinha ido lá e precisava saber como estava a estrada para levar sua esposa no dia seguinte. Gente boa toda vida, me ofereceu uma carona. Diz mamãe que foi um anjo que papai enviou para me resgatar lá. Se foi ou não, vai aqui novamente o agradecimento ao amigo, que me deixou em frente ao bar do meu tio Cacau, onde fechei o dia com uma boa hidratação.

Hidratação

Hidratação


Gostou? Comente!
Curta nossa página no Facebook: Facebook.com/barcadaideia
Acesse todos os relatos em: Explorações

Patrocinador: Carpória – agência de comunicação.

Renaldo Souza

Um maluco de estrada que gosta de dar uma caminhada. Amante da natureza, dos churrascos e da cevada. Se Noé fez a arca, eu fiz a Barca. A Ideia, a gente arruma...

10 Comments:

  1. Parabéns pelo belo trabalho, ficou muito bom, também quero ir conhecer o lugar depois da sua descrição!!!

  2. Oi Renaldo!

    Ainda não fui..Mas pode deixar, mando minha foto! Mais uma vez obrigada!!!

  3. Oi, Dri! Me desculpe pela demora em respondê-la. Você já foi na cachoeira ou ainda está esperando pela dica? Se já foi, mande uma foto sua no local para contato@barcadaideia.com que eu posto na nossa página do Facebook. Caso não tenha ido, seguem as respostas:

    Então: não há ônibus direto para a cachoeira, que é a mesma de Braçanã sim (Braçanã é o nome do bairro, Salto o da cachoeira). Vindo de Niterói, você tem que descer na passarela do Basílio e atravessar a BR-101. De lá, você vai andar cerca de 1h. Não tem ladeira no percurso, mas é cansativo. No entanto, é impossível se perder. Basta seguir a estrada.

    O máximo que você pode fazer para se adiantar é aguardar por um ônibus que sai do Centro de Rio Bonito e passa pela estrada que você vai pegar. Ele te deixa um pouco à frente, mas aí você perde a oportunidade de fotografar a igreja. De qualquer forma, terá que andar bastante…

  4. Oi Renaldo!
    É muito longe até a cachoeira? Pretendo pegar o ônibus Rio bonito no terminal de NIterói. .
    Mas não conheço nada aí pra cima. O Google não ajuda muito também.

  5. Renaldo! Essa cachoeira do salto é a mesma que Bracana? (Com cedilha e til) kkkk
    O ônibus pra lá sai de Alcântara ou itaborai? Tô pensando em ir lá essa semana. ..

  6. Valeu, mestre! Se der, vamos até juntos. Abração!

  7. Thiago Loureiro

    Muito bom Naldinho! Gostei muito. Vou tentar ir o mais breve possível. Sou de Rio bonito também e preciso conhecer essa área de lá.

  8. Show de bola seu passeio camarada! a caminhada até o salto já fiz diversas vezes desde que adotei Rio Bonito como minha cidade.
    Se você tivesse feito esta caminhada à uns 10 anos atrás teria visto uma queda de aguá bem maior e poderia ter se escontido por trás da cortina de água; Infelizmente a CEDAE nos furtou esta maravilha captando as aguas do velho Caceribu para abastacer Tanguá.
    Deixando de lamúrias, lhe parabenizo por ter conseguido registrar belas imagens de sua peregrinação!
    Sds…

  9. Gisele Souza

    Amei,primo!! Sua descrição foi perfeita, consegui me sentir lá com vc!! Acredite, nunca fui na rampa…rsrs 😉

  10. Filho adoreiiiiiiii.fiquei emocionada .Lindo.muito lindo.Obrigada por me dar tando orgulho.que Deus continue te protegendoprotegendo e te abencoando em suas caminhada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *