SANTOS/SP

Viagem realizada em 31/01/2014 –

Após mais de 10 anos conversando pela Internet com a amiga Amanda Pacheco, chegou o dia do casamento dela. Cobrei o convite de brincadeira, mas ele chegou de verdade. Aí, só tive uma decisão a tomar: partir para Santos para acompanhar a cerimônia, hidratar na festa e conhecer a cidade. E foi o que fiz.

Dormi mal de quinta para sexta-feira. E, na sexta à noite, peguei uma hora de ônibus de Itaboraí até o Rio de Janeiro. Em seguida, mais 9 do Rio até a Estação Rodoviária Jaime Rodrigues Estrela Junior (ou, para os íntimos, Rodoviária de Santos).Por lá, nada melhor do que um café-da-manhã com um suquinho de acerola.

Café-da-manhã

Café-da-manhã

De pança cheia, peguei um táxi rumo ao Hotel Independência, onde eu já havia reservado uma suíte. No entanto, acabou que cheguei antes do início das minhas diárias. Com todos os quartos lotados, não havia o que fazer, senão aguardar. Dei meu telefone para a recepcionista que ficou de, gentilmente, me ligar para avisar quando desocupassem alguma suíte. Nesse meio tempo, fui perambular pela Praia do Gonzaga.

Praia do Gonzaga

Praia do Gonzaga

O local é maravilhoso. Uma praia de águas bem quentinhas, sem ondas e onde você caminha uns 300m mar a dentro e ainda fica com a água na altura do peito. Loucura!

Praia do Gonzaga

Praia do Gonzaga

Praia do Gonzaga

Praia do Gonzaga

De frente a ela, algo não tão bonito, mas que tem uma grande utilidade: os canais (rios podres de sujos), que os santistas usam para se localizar na praia. Esse aí é o 3, onde, próximo a ele, sentei em um quiosque para tomar mais suco de acerola:

Canal 3

Canal 3

Cerca de 9 da manhã e veio a ligação. Após quase duas noites sem dormir, eu precisava de um bom sono para aguentar o próximo pernoite, que seria na festa. E corri para encontrar Hipnos (deus do sono) no hotel.

Hotel Independência

Hotel Independência

Acordei já no final da tarde. Peguei a elegância do traje fino, um táxi e rumei à belíssima Igreja Católica Santo Antonio do Valongo para a cerimônia.

Igreja Católica Santo Antonio do Valongo

Igreja Católica Santo Antonio do Valongo

Antes do término, não consegui esperar e agarrei a noiva ainda no tapete vermelho, falando uma bobeira qualquer para o marido Michel rir e não querer me matar.

Agarrando a noiva

Agarrando a noiva

Agarrando a noiva

Agarrando a noiva

E chega a hora da festa, quando as amigas Carla e Mônica ficam com pena de mim por estar sozinho em uma cidade desconhecida e decidem me oferecer carona até o Clube XV, que sediaria a hidratação. Me infiltrei no grupo delas, e nos despedimos da igreja…

Me infiltrando no grupo

Me infiltrando no grupo

No local da festa, hidratação especial com a noiva.

Hidratação

Hidratação

E um encontro com a mais gostosa de todas as convidadas: Meg, a filha dos noivos, que ficou comportadinha na cadeira dela. Até eu chegar para encher o saco e apertá-la…

Meg

Meg

E conforme a festa ia se desenrolando, a elegância ia pedindo licença…

Festa

Festa

Já no hotel, foi só capotar na cama e acordar no dia seguinte. Abri os olhos e, quando desci para o saguão, cadê o café-da-manhã? Já tinha acabado…

Hotel Independência pós-café-da-manhã

Hotel Independência pós-café-da-manhã

Pela hora, decidi almoçar direto. Comi em uma churrascaria próxima ao hotel e parti para a Praia do Gonzaga, passando a tarde com um revezamento entre hidratação e mergulho.

Hidratação

Hidratação

Praia do Gonzaga

Praia do Gonzaga

Praia do Gonzaga

Praia do Gonzaga

Pedi umas dicas sobre o que fazer na noite da cidade e ouvi alguns conselhos para me dirigir ao Moby Dick. Inclusive da Amanda. Fui lá e paguei 35 reais para entrar. Não me esqueço do valor, pois ele me deu direito a ficar apenas uma hora na casa. Entrei por volta de 11 e meia e meia-noite e pouca a boate já tinha encerrado sua programação. Pensei que teria alguma surpresa ou que a galera estava de sacanagem, mas realmente tinha acabado. Foi aí que me avisaram que domingo era dia de matinê. A única coisa que consegui fazer nesse tempo foi tomar duas Heinekens e registrar essa lateral de Kombi que decora uma das paredes:

Moby Dick

Moby Dick

Peguei um táxi e pedi para o motorista me deixar em algum bar que estivesse tendo alguma coisa. E que não fosse matinê! E foi quando cheguei ao Bar do Torto, que é um local bem bacana e com boas bandas. O palco da casa fica no primeiro andar, também sendo possível ser avistado pelo segundo. O calor lá dentro é forte. Para isso, a galera se identifica na recepção para poder entrar e sair do bar toda hora para tomar um arzinho, que acaba contribuindo para bater um papo-papo e fazer amizade.

Bar do Torto

Bar do Torto

Já no meio da madrugada, fomos eu e o amigo Neto, que conheci no Torto, “expulsos” do local, que estava fechando. Para matar a fome antes de dormir para acordar e voltar pra casa no dia seguinte, caçamos um quiosque aberto e ele me disse para pedir um sanduíche tradicional de Santos. Pedi e veio essa coisa maravilhosa:

Sanduíche santista

Sanduíche santista

2017

Em meu retorno a Santos para um fim de semana, tive a honra de encontrar não apenas a Meg, mas também o ilustríssimo Marlon, irmão mais novo dela que também veio dormir comigo.

Marlon Brando

Marlon Brando e Meg Lúcia

Não costumo mexer nos relatos antigos. Porém, como a varanda do apartamento do casal Ceresso (Amanda e Michel), que me hospedou, tem uma excelente vista da cidade de Santos, achei que deveria incluir algumas imagens aqui para enriquecer o post. E aí vão elas:

Vista para a cidade, com o mar à direita

Vista para a cidade

Vista para a cidade

Já que requentei a postagem, nada melhor que encerrar resfriando, com uma hidratação cervejal na mesma varanda, e em alto estilo:

Hidratação


Gostou? Comente!
Curta nossa página no Facebook: Facebook.com/barcadaideia
Acesse todos os relatos em: Explorações

Patrocinador: Carpória – agência de comunicação.

Renaldo Souza

Um maluco de estrada que gosta de dar uma caminhada. Amante da natureza, dos churrascos e da cevada. Se Noé fez a arca, eu fiz a Barca. A Ideia, a gente arruma...

6 Comments:

  1. Ameeeei essa edição do post, que venham mais, vc é sempre nosso convidado! As crianças estão com saudades! 😘

  2. Que calúnia! Te enviei o link na época… Mas pode deixar que eu volto para que tenhamos outras postagens e histórias juntos. 2016 vai trazer muita coisa boa 🙂

    Mande 15 beijos em cada bochecha da Meg!

  3. Eu não acreditooooo que vc fez essa postagem e eu não fiquei sabendo!!!! Ameeeei ter te conhecido pessoalmente no dia do meu casamento, isso tenho certeza que nunca esqueceremos!!! E por favor, venha de novo p/ atualizar esse blog, tem umas praias no Guarujá que vc não acredita!!! São fenomenais!!! Eu Meg e Michel estamos com saudades!!!

  4. Não. Você desenhou a Mehl. Mas ela era amiga da Meg… hahah

  5. Adoro suas viagens loucas seu Renaldo…um dia tem que ir para Floripa visitar os amigos.

  6. Kelly Macagi

    Que lindo, então foi essa Meg que desenhei?!
    Santos é bão demais!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *